market

Candidato Pró-Bitcoin vence eleições primárias na Argentina

O candidato libertário Javier Milei é favorável ao Bitcoin. Nesse texto mostramos como a criptomoeda poderia ser uma solução aos problemas econômicos atuais da Argentina.
Candidato Pró-Bitcoin vence eleições primárias na Argentina

Em uma reviravolta surpreendente, o candidato libertário Javier Milei conquistou a vitória nas eleições primárias presidenciais na Argentina. Com 90% dos votos contados, Milei, representando o partido "La Libertad Avanza", obteve 30,4% dos votos, superando os candidatos de "Juntos por el Cambio" e "Unidos por la Patria", que receberam 28% e 27% dos votos, respectivamente.

A postura pouco convencional de Milei em questões econômicas, principalmente pelos seus apontamentos em relação a instituições tradicionais e sua visão favorável ao Bitcoin, atraiu considerável atenção tanto nacional quanto internacional. Ele caracterizou o Banco Central como uma ferramenta usada por políticos para explorar o público por meio de impostos inflacionários. Sobre o Bitcoin, Milei o descreveu como um meio para restaurar o controle do dinheiro ao setor privado, enfatizando seu potencial como uma forma descentralizada e apolítica de moeda.

Apesar de sua posição pró-Bitcoin, Milei não defende o reconhecimento oficial do Bitcoin como moeda legal na Argentina, ao contrário da abordagem adotada por El Salvador, o que pode ser uma oportunidade perdida para o país latino americano. Em vez disso, ele aponta par a "dolarização" da economia, com o objetivo de enfrentar as taxas de inflação de três dígitos do país.

Como nenhum candidato é esperado para ultrapassar o limite de 45% na eleição preliminar, uma eleição geral com os principais candidatos de cada partido ocorrerá em outubro. Se nenhum dos candidatos obtiver 45% nessa etapa, uma votação final de desempate está programada para novembro.

O potencial do Bitcoin como solução no contexto argentino

A situação política e monetária da Argentina é complexa e volátil. O país tem uma longa história de instabilidade política e econômica, e isso tem dificultado o desenvolvimento da economia.

A inflação é particularmente problemática e já atingiu 115,6% no acumulado de 12 meses, levando a aumentos rápidos nos preços e à perda do poder de compra dos cidadãos. O peso argentino também sofreu uma depreciação significativa, perdendo 54% de seu valor em um ano, o que complica as importações e o turismo.

Outro problema crítico é a dívida pública da Argentina, que está em cerca de 100% do PIB, um volume muito alto. Isso significa que o governo precisa pagar muito dinheiro em juros sobre a dívida, tirando recursos que poderiam ser usados para investir no país.

A adoção do Bitcoin se apresenta como uma possível solução para alguns desses desafios. A natureza descentralizada e oferta limitada da criptomoeda contrastam com as pressões inflacionárias enfrentadas pelas moedas tradicionais. Além disso, o Bitcoin poderia oferecer uma alternativa de reserva de valor para cidadãos cautelosos em relação à erosão de suas economias em pesos. Também poderia ser uma reserva de valor do próprio governo argentino.

A adoção do Bitcoin em El Salvador

El Salvador chamou a atenção em 2021 ao se tornar o primeiro país a adotar o Bitcoin como moeda legal. Apesar de enfrentar críticas internacionais e desafios iniciais, a medida tem trazido benefícios notáveis. Um ano após a adoção, o país registrou um aumento de 30% no turismo, uma conquista notável em um mundo pós-pandemia.

Além disso, o presidente Nayib Bukele desfruta de altas taxas de aprovação, superando 80%, provavelmente devido, em parte, à sua abordagem inovadora na política financeira. A adoção do Bitcoin também tem incentivado seu uso como moeda de reserva pela população local, reduzindo as elevadas taxas associadas ao envio de dinheiro para o exterior.

A adoção do Bitcoin por El Salvador não apenas facilitou a inovação financeira dentro de suas fronteiras, mas também inspirou outros países a considerarem abordagens semelhantes. A República Centro-Africana e até mesmo regiões da Suíça estão explorando os benefícios potenciais da adoção de criptomoedas.

Enquanto o futuro permanece incerto, o destaque de Milei nas eleições primárias da Argentina ressalta um sentimento crescente entre os cidadãos argentinos de que explorar alternativas ao sistema monetário tradicional pode potencialmente oferecer soluções para os desafios econômicos da nação. Conforme o cenário político continua a evoluir, o papel do Bitcoin em abordar os problemas monetários da Argentina pode ganhar destaque no discurso público.

moreContentOnTheMedias

articlesThatWillInterest

Mercado cripto retoma market cap de US$ 1 tri